Teorias Maternas

O desenvolvimento infantil

Com 1 mês de idade já podemos verificar o desenvolvimento da inteligência do bebê. Charlotte Bühler e Hildegard Hetzer, psicólogas alemãs, desenvolveram uma série de testes e provas ao qual os bebês devem responder de forma positiva correspondentes ao seu mês de vida. Os testes, fáceis de ser verificadas por qualquer pessoa, podem detectar um possível atraso cognitivo nas crianças.

Primeiro mês:

Primeiro teste: O bebê segura o que alcança. Colocando o dedo indicador na palma da mão aberta do bebê etc., rapidamente ele fecha os dedos, pressionando o dedo examinador.

Segundo teste: Ele se tranquiliza ao escutar ruídos leves. Um bebê choroso se aquieta ao ouvir o som de uma campainha tocada suavemente perto dele, pode reconhecer as vozes de sua mãe e de seu pai.

Terceiro teste: Ele fita momentaneamente uma luz fraca. Colocando a um metro de distância uma lâmpada de bolso, de luz de pouca densidade em quarto escuro, o pequenino olhará para ela, por alguns segundos, se acalma olhando sua mãe ou alguém conhecido.

Quarto teste: Ele tenta pegar os alimentos. Deve-se fazer essa prova com o bico do seio. Estando o bebê mamando por alguns segundos, retire vagarosamente o seio. Mantendo-o bem próximo, o bebê procurará mover a cabeça até o mamilo, tentando apanhar o bico com a boca aberta.

Quinta prova: Tentativa de defesa: colocando um papel sobre o seu rosto, cobrindo o nariz, o bebê fará movimentos, procurando girar a cabeça de um lado para outro. Percebe-se melhor este movimento olhando o papel.

Dois meses:

Primeiro teste: O bebê vira a cabeça ao escutar um ruído. A pessoa deverá estar fora do campo de visão do bebê; ao seu lado, faça soar uma campainha com ruído mais ou menos forte; isso é suficiente para que o bebê vire logo a cabeça.

Segundo teste: Colocando-se uma lanterna acesa a meio metro de distância do bebê, ele fixa seu olhar na luz por um longo tempo.

O bebê de um a quatro meses percebe a claridade e mostra-se fascinado com cores vivas, como vermelho e o amarelo. Gesell afirma que a experiência de luz e cores brilhantes tem tanta importância para a inteligência do bebê quanto os alimentos para seu estômago. Ele aconselha, no caso de haver choro violento, com lágrimas, a agitar diante dos olhos do bebê uma roupa com a cor laranja ou vermelha.

Terceiro teste: O bebê acompanha objetos em movimento. Uma pessoa deverá debruçar sobre ele, a meio metro de distância aproximadamente, vagarosamente se colocando para trás, pelo lado da cabeça, e o bebê acompanhará este movimento, chegando a virar a cabeça para poder ver melhor. Seguirá a luz e os objetos de 15 a até 20cm de distância.

Quarto teste: O bebê se tranquiliza ao escutar uma voz suave. A pessoa, debruçada sobre o berço, deverá falar-lhe suavemente, e se o bebê chorar ou se estiver de mau humor, às vezes se aquieta, olhando a pessoa.

Quinto teste: O bebê esboça uma reação física. Colocando-se uma fralda sobre o rosto do bebê ele deverá fazer movimentos incompletos, procurando se libertar dela, sem, entretanto, conseguir.

Três meses:

Primeiro teste: Mantém a cabeça. Evolução motora.

Segundo teste: Faz movimentos espontâneos. Não são movimentos bruscos e impulsivos, como os do bebê de um a dois meses; são retardados, repetindo-se do mesmo modo diversas vezes, percebendo-se que o bebê está prestando atenção aos movimentos que faz.

Terceiro teste: Sorri. Se alguém, à distância de 25cm, provocar o bebê com gestos ou palavras, ele olhará e esboçará um sorriso. Aos três nesses ele já é capaz de combinar dois sentidos: a visão e a audição.

Quarto teste: Balbucia. São os primeiros som que ele emite. As pessoas da família costumam interpretar isto do modo mais diverso possível. Segundos os avós, a palavra que mais se assemelha aos sons de bebê é “mamã”; existem, entretanto, as que julgam ser a palavra “angu”.

Quinto teste: Acompanha objetos que desaparecem. Ao lhe exibir um objeto à distância de 25cm, permanecendo por alguns segundos, em seguida deslocando-o e fazendo-o desaparecer, o bebê virará os olhos para o local em que desapareceu o objeto, fitando aquele local por alguns segundos.

Quatro meses:

Primeiro teste: Ele procura com os olhos a origem de um ruído: uma pessoa, colocada fora do campo visual do bebê, toca uma campainha; a criança olhará logo em seguida para o local onde foi emitido o som.

Segundo teste: Ele apoia a cabeça e os ombros nos antebraços: colocando de bruços, ele não só levantará a cabeça, como aos três meses, mas também os ombros, apoiando-se nos cotovelos.

Terceiro teste: Reage à interrupção de um contato. A pessoa debruçada sobre o berço deve procurar diverti-lo, brincando, fazendo caretas ou usando qualquer objeto, e repentinamente, deve se afastar. O bebê reage, às vezes, chorando ou com demonstração de desagrado, fazendo beicinho.

Quarto teste: O bebê percebe a mudança de fisionomia. Uma pessoa, debruçada sobre o bebê, olha-o tranquilamente por alguns segundos, e em seguida afasta-se e coloca uma máscara qualquer, de preferência de um bicho. Percebe-se, claramente, a expressão de surpresa do bebê, como um franzimento da fronte, faz beicinho ou chora. Às vezes estas alterações são acompanhadas de movimentos.

Quinto teste: Ele segura objetos. Colocando na sua mão uma sineta, o bebê a segura firmemente, não a soltando com facilidade.

Cinco meses:

Primeiro teste: Interesse pelas cores. Apresente-lhe um cartão branco a cerca de 25cm de distância dos olhos do bebê, permanecendo por algum tempo até ele se desinteressar. Em seguida, apresente-lhe outro, mas vermelho. O interesse pelo segundo deverá ser logo manifestado.

Segundo teste: Ele segura um objeto. Leve um objeto até ele, para que ele o sinta com a ponta dos dedos; logo em seguida ele o agarrará.

Terceiro teste: Ele se sustenta com as palmas da mãos. Deixando-o de bruços, ele não apenas levantará a cabeça, como no terceiro mês, ou se apoiará nos cotovelos, como no quarto mês, mas procurará se levantar, apoiando-se nas palmas da mãos.

Quarto teste: Observa as pessoas que caminham pelo quarto. Esta prova é percebida mais nitidamente quando uma pessoa brinca com o bebê e, em seguida, se afasta. Ele continuará a olhando e acompanhando enquanto estiver no quarto.

Quinto teste: Percebe a mudança de ambiente. Uma pessoa leva o bebê ao colo para outro quarto, aproximando os objetos do campo visual do bebê. Ele olhará com interesse para todos os lados.

Seis meses:

Primeiro teste: O bebê apanha um objeto. Colocando uma sineta ao alcance do bebê, ele a pega, apertando-a com os dedos.

Segundo teste: Livra-se da fralda que o incomoda. Deitado, com uma fralda estendida sobre o rosto, ele procurará se libertar dela, o que acabará conseguindo.

Terceiro teste: Reflete a expressão amável ou zangada. Uma pessoa inclinada sobre o bebê, a 25cm de distância, pelos espaço de trinta segundos, faz movimentos fisionômicos (caretas). O bebê também se alegrará, chegando, às vezes, a sorrir. Em seguida, nas mesmas condições, substitua os movimentos alegres por outros severos, ficando assim por trinta segundos: o bebê ficará sério também.

Quarto teste: Espera um fato já várias vezes repetido. A pessoa mantém na mão um brinquedo pequeno que faça ruído, movendo-o aos olhos do bebê durante alguns minutos, até que ele se interesse vivamente por ele. Logo que isto for conseguido, repentinamente os movimentos deverão parar; o bebê olhará atentamente as mãos e, estendendo seus bracinhos, procurará apanhar o objeto.

Quinto teste: Não solta facilmente um brinquedo. Dando um brinquedo ao bebê, deixe-o com ele por alguns minutos, para que se entretenha. Depois procure retira-lo, o que não será possível sem que o bebê ofereça resistência, segurando, às vezes fortemente, o objeto e, acompanhando-o com o corpo.

Sete meses:

Primeiro teste: O bebê tenta apanhar um objeto. Colocando uma lanterna de bolso acesa a uns 50cm diante de bebê, ele estenderá as mãos para pegá-la.

Segundo teste: Procura um contato vivo. Alguém sentado ao lado do seu berço não olha nem se preocupa com ele. O bebê tentará estabelecer contato com a pessoa, balbuciando e olhando pra ela.

Terceiro teste: Procura um brinquedo perdido. Deixa-se o bebê se distrair com um brinquedo, por algum tempo; em seguida, suavemente, tira-se o mesmo; ele olhará ao seu redor, procurando-o na direção em que desapareceu.

Quarto teste: Esboço de imitação: uma pessoa, diante do bebê, bate com a mão na es apor algum tempo, e em seguida o põe no colo. Ele também tentará bater com as mãos na mesa.

Quinto teste: Livra-se da fralda que o incomoda. Coloque-o deitado de costas, com a fralda cobrindo-lhe a cabeça. Com as mãos, ele tirará a fralda.

Oito meses:

Primeiro teste: Coloque um objeto numa mesa ao lado da cama do bebê. Ele, com as próprias mãos, através das grades, deverá procurar apanha-lo.

Segundo teste: Ele procura evitar o que não lhe agrada. O adulto, com um lenço, deverá executar alguns movimentos, como, por exemplo, o de limpar o nariz do bebê; ele, com suas mãos, tentará afastar as do adulto, a fim de impedir-lhe os movimentos.

Terceiro teste: Ele se move de lugar. Este é um teste de observação. O bebê move-se do lugar, não se arrastando, e sim virando-se e deslocando-se, procurando engatilhar.

Quarto teste: Recupera o brinquedo que lhe foi tirado. O bebê está brincando com qualquer objeto: o adulto o tira e o coloca em um bolso, deixando parte dele à vista; o bebê deverá tentar busca-lo, desde que esteja ao seu alcance.

Quinto teste: Maneja dois brinquedos ao mesmo tempo. Ao bebê, já ocupado com um brinquedo em uma das mãos, oferece-se outro, que ele deverá apanhar com a mão livre, não soltando o primeiro, e moverá os brinquedos com as suas mãos, simultaneamente.

Nove meses:

Primeiro teste: Conservar o equilíbrio, estando sentado. Ao bebê sentado, ofereça um brinquedo a uma das mãos, e em seguida outro, para a outra mão. Ele deverá apanhar os dois e os conservar nas mãos, sem perder o equilíbrio.

Segundo teste: Sentado, livra-se da fralda. Nesta posição, a mãe cobre-o com uma fralda: ele deverá se livrar dela com as mãos, sem perder o equilíbrio.

Terceiro teste: Permanecer de pé; o bebê deverá manter-se de pé com certa facilidade quando apoiado.

Quarto teste: Desloca-se engatilhando. Coloca-se no cercado, fora do seu alcance, um brinquedo; o bebê deverá engatilhar até ele, apanhando-o.

Quinto teste: Responde a gestos significativos. Uma pessoa, perto do bebê, deverá fazer gestos alegres, estendendo os braços e sorrindo. Logo em seguida levanta a mão ameaçadoramente; o bebê, de risonho deverá passar a sério, fazendo movimento de recuo.

Dez meses:

Primeiro teste: Chama a atenção sobre si mesmo. A pessoa junto do bebê fica de costas conversando com outra: o bebê procurará a sua atenção, puxando sua roupa ou mostrando-lhe um brinquedo.

Segundo teste: Descobre um brinquedo escondido. Diante do bebê, esconde-se um objeto debaixo de uma fralda estendida; ele deverá descobri-lo, puxando a fralda.

Terceiro teste: Tocar tambor por imitação. Diante do bebê, uma pessoa tocará um tambor por algum tempo. Dê-lhe o tambor em seguida. Ele procurará executar os mesmos movimentos, embora não saiam perfeitos.

Quarto teste: Bate uma colher contra a outra. Uma pessoa, diante do bebê, bate duas colheres, fazendo ruído. Dê-lhe as colheres em seguida, ele fará o mesmo gesto.

Quinto teste: Escolhe nitidamente um brinquedo. Uma pessoa mantém ao alcance do bebê um brinquedo diferente em cada mão; ele apanhará o que achar mais interessante. Logo em seguida, a pessoa retoma o brinquedo e o apresenta novamente, tendo o prévio cuidado de trocar de mãos o objeto; o bebê o acompanhará novamente.

Onze meses:

Primeiro teste: O bebê procurará se sentar para apanhar um objeto. Uma pessoa mostra um brinquedo ao bebê estando deitado, mantendo-o fora do alcance de suas mãos. Ele deverá se sentar para apanhá-lo.

Segundo teste: O bebê deverá conseguir se sentar com simples ajuda. Ele procurará se sentar, apoiando-se nas grades da cama ou do cercadinho, o que fará facilmente, com simples ajuda do adulto.

Terceiro teste: Manifestar surpresa: se uma pessoa, por trás do bebê, fizer um ruído com um apito ou der um grito, o bebê deverá se voltar repentinamente, olhando surpreso.

Quarto teste: Teste de memória: deve ser mostrada ao bebê uma caixa contendo uma bola, deixando—brincar com ela por alguns minutos. Em seguida, leve a bola e a caixa: voltando, após um minuto, com a caixa sem a bola, ele, não a encontrando, deverá olhar surpreso para a pessoa, como se estivesse indagando sobre o seu desaparecimento.

Quinto teste: O bebê toca uma sineta, por imitação. Uma pessoa toca várias vezes uma sineta, na frente do bebê, dando-a em seguida a ele, que deverá tocá-la, fazendo os mesmos movimentos.

Um ano:

Primeiro teste: O bebê examina cuidadosamente duas caixas. Com elas nas mãos, ele as examina atentamente, colocando-as, às vezes, uma dentro da outra.

Segundo teste: Abre uma caixa. Colocada uma caixa fechada diante do bebê, ele deverá abri-la de qualquer maneira.

Terceiro teste: Apanhar um objeto por meio de um artificio. Colocada fora do alcance do bebê uma campainha, presa por um barbante, cuja ponta livre deverá estar ao seu alcance, ele deverá puxar o barbante, a fim de fazer a campainha tocar e ele poder apanhá-la.

Quarto teste: Examinar os objetos. Uma pessoa toca a campainha e, em seguida, a entrega ao bebê, que logo deverá examiná-la, procurando e segurando o badalo, indagando o que realmente faz o ruído.

Quinto teste: Apanhar um brinquedo superando obstáculos. Mostre-lhe uma bola, colocando-a ao seu alcance; logo que ele fizer um movimento para apanhá-la, coloque na sua frente um papelão grande, visando escondê-la. Ele deverá contornar o papelão, e apanhará a bola.

1 ano e 3 meses:

Primeiro teste: Coordenação motora voluntária: a criança deverá jogar uma bola na direção do adulto e a receber de volta.

Segundo teste: Deverá compreender uma ordem. Uma pessoa manda a criança apanhar um brinquedo e a trazê-lo de volta. Ela deverá executar perfeitamente a tarefa.

Terceiro teste: Recordar-se de algo após três minutos. Dá-se uma caixa com um brinquedo para a criança. Em seguida retira-se a caixa e o brinquedo; três minutos depois, devolve-se a caixa vazia; ele deverá notar a falta do brinquedo.

Quarto teste: Executar movimentos relativamente difíceis. Dando-lhe uma série de dados que caibam um dentro do outro, a criança deverá coloca-los perfeitamente, assim como deverá retirá-los, repetindo a manobra diversas vezes.

Quinto teste: Demonstrar preferência. Apresentando-lhe dois cartões, um com cores variadas e outro com figuras, a criança deverá preferir o das figuras, por ser mais interessante.

1 ano e 6 meses:

Primeiro teste: Compreende uma proibição. Proíbe-se, por meio de palavras, que a criança toque em determinados objetos para as quais tenha demonstrado preferência. A proibição deverá ser perfeitamente cumprida.

Segundo teste: Reconhece um retrato. Mostre fotografias de pessoas com que ela esteja familiarizada. A criança deverá dar demonstrações imediatas de reconhecimento.

Terceiro teste: Recorda-se de um brinquedo, após quinze minutos. Dá-se à criança uma caixa contendo um brinquedo; depois de algum tempo, retira-se ambos; quinze minutos depois, devolve-se a caixa, mas sem o brinquedo; ela deverá notar a ausência.

Quarto teste: Coordenação motora. Deverá subir com facilidade em uma cadeira ao seu alcance.

Quinto teste: Nomeia objetos. Mostra-se à criança, simultaneamente, diversos objetos familiares. Ele os irá nomeando da melhor maneira possível, usando sua própria linguagem.

Dois anos:

Primeiro teste: Dê à criança um brinquedo para que ela o mantenha nas mãos. Depois chame sua atenção para que ela ande com o brinquedo, sem perder o equilíbrio.

Segundo teste: Coloque a criança num canto e lhe atire uma bola; ela deverá devolvê0la quantas vezes lhe for atirada, ordenadamente.

Terceiro teste: Deverá compreender diversas ordens: a pessoa deverá dizer à criança as seguintes ordens, sem fazer sinais com as mãos: levante-se, venha até aqui, dê-me aquele brinquedo etc., e a criança deverá obedecer.

Quarto teste: Questão de preferência: apresente à criança um cartão com diversas cores e outro com uma figura. Ela deverá preferir o segundo.

Quinto teste: Repetição das palavras: a criança deverá ser capaz de repetir, após alguns minutos, de três a cinco palavras que tenham sido ditas a ela com atenção.

Cadastre-se e receba nosso conteúdo por e-mail

Talvez você também goste de:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *