Saúde

Exemplo dos pais é decisivo na alimentação das crianças

Olá! Hoje vou falar de algo que considero muito importante para aquelas que desejam exercer a maternidade da melhor maneira possível: o bom exemplo alimentar. Não é novidade que a família é a primeira e a maior referência que uma criança tem. E é claro que isso se estende também à alimentação, embora ainda seja uma área muito negligenciada.
Li esses dias um artigo sobre os cuidados que donos de animais possuem com seus bichos. Eles sabem que não podem dar qualquer comida e que a má alimentação pode causar problemas de saúde sérios. Por isso, investem em rações de qualidade e selecionam os ingredientes que vão oferecer. Lendo aquilo me fiz alguns questionamentos de forma quase instantânea:  por que tantos pais não tomam o mesmo cuidado com o que as crianças consomem? Por que mesmo sabendo que a qualidade da alimentação interfere na saúde das crianças – agora e no futuro- continuam deixando-as comer qualquer coisa?
Já presenciei dezenas de casos em que os pais garantem que seus filhos não tomarão refrigerantes, não comerão fast foods e muito menos poderão deliciar-se com doces e guloseimas diariamente. O problema é que muitas vezes, são esses mesmos pais que sentam à mesa com seus filhos e enquanto obriga-os a comer legumes, verduras e a beber sucos naturais, se enchem de refrigerantes e optam por alimentos bem menos saudáveis do que os que são oferecidos às crianças. Nessas ocasiões, adotam o discurso do “faça o que digo”, mas não se dão conta de que retórica não serve de exemplo e que são as nossas atitudes que realmente influenciam nossos filhos.
Por isso, antes de reclamar que seu filho come mal e não aceita alimentos saudáveis, pense no exemplo que ele recebe em casa. Mas vale lembrar que comida saudável não significa apenas  frutas e verduras. Inclui uma variedade de alimentos feitos  em casa como arroz, feijão, carne de panela, legumes assados… Diante de tantas opções, por que os pais não conseguem estabelecer uma rotina saudável e impor regras que possam garantir a própria saúde e sirvam de boas referências para seus filhos?
Sei que para muitos repensar a forma como se comportam na frente das crianças será um desafio duro. Mas é possível começar dando pequenos passos. Com meus filhos, combinamos sobremesas alguns dias na semana e quando ofereço deixo claro que comer besteira deve ser a exceção, jamais uma regra alimentar. Confesso que enfrentar a pressão deles não é fácil. Mas considero essa uma das minhas missões como mãe empenhada em criar meus filhos da melhor forma possível.
As regras alimentares de uma família precisam envolver todos os membros. E é diante dessa necessidade de fazer o certo que  muitos pais colocam a saúde das crianças em xeque simplesmente para poupar-se do esforço de ser um bom exemplo alimentar. Uma omissão arriscada para todas as partes envolvidas. Acredito que as coisas se tornam mais fáceis se tivermos consciência de que nossa atitude de hoje pode influenciar nossas crianças pelo resto das suas vidas. Pense nisso na próxima refeição em família.

Até a próxima!

Stael Braga                                                                                                     Nutricionista clínica, apaixonada por comidinhas caseiras. É mãe da Bia, 14, e do Chicão, 8. Escreve semanalmente para o Maadu.

Email: [email protected]

Cadastre-se e receba nosso conteúdo por e-mail

Talvez você também goste de:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *