Crianças

Pesadelos infantis: até que ponto é normal?

Por Maíra Souza e Láyra Santa Rosa

Sonhar é algo comum na vida de adultos e crianças. E os pesadelos fazem parte desse processo. Mas, até que ponto é normal acordar no meio da noite assustado com um sonho ruim? A partir de que idade os pesadelos costumam invadir o sono das crianças?  Segundo o psicólogo e psicanalista Marcelo Pio da Costa, o sonho vai variar de acordo com os acontecimentos do dia a dia. Tudo estará diretamente ligado às descobertas, histórias, filmes, livros e conversas com outros coleguinhas ou  adultos.

Os sonhos geralmente ocorrem durante a segunda parte da noite, na fase REM, onde é possível notar o movimento dos olhos sob as pálpebras fechadas e a atividade cerebral é similar a de quando estamos acordados. É nesse estágio que as crianças costumam ter pesadelos, pois associam o que viram, assistiram, leram ou pensaram com a sua realidade. É normal, mas não pode acontecer em excesso ou tornar-se rotina na vida das crianças.Quando a regra do sono infantil é acordar com pesadelos ou ter medo do próprio quarto, os pais precisam ficar atentos porque pode estar havendo um desequilibrio entre as informações a que a criança é submetida e o que ela consegue assimilar.

“Pesadelos demais podem impedir o sono, o que é problemático. A criança deve poder dormir e sonhar livremente com seus desejos. Sonhar mostra uma certa frustração, o que é altamente saudável. Mas o pesadelo rotineiro precisa ser visto com atenção”, afirma Pio da Costa. Segundo ele, quando a criança relata um sonho, ela está dando um sinal de que sua mente está trabalhando de maneira saudável. Aquilo que não pode ser satisfeito acordado, muitas vezes é realizado no sonho. “Tudo externo pode influenciar um sonho, que é feito de restos diurnos que se ligam a alguma representação inconsciente”, explica.

Existe muita controvérsia em relação a idade em que começamos a sonhar. Alguns estudos apontam que os bebês sonham desde a barriga de suas mães. Enquanto outros, como os realizados pela Associação de psiquiatria Espanhola, acreditam que isso só ocorre a partir dos 18 meses de vida. Normalmente os pesadelos começam a aparecer por volta dos 3 anos de idade. Tanto os sonhos como pesadelos exercem a importante função de armazenar conhecimento do dia a dia da criança.

Ainda de acordo com o psicólogo e psicanalista, os sonhos das crianças são genuínos e não cabem interpretações. “Não existem sonhos por idade e sim sonhos que revelam a realidade psíquica da criança, a linguagem que ela foi constituída, a relação com os pais. O importante dos sonhos é a criança ter consciência que sonha, que aquilo que ela viveu dormindo é difere da realidade vivida. Quando a criança consegue fazer esta separação temos a fantasia constituída”, conclui .

Veja algumas dicas que podem ajudar a diminuir os pesadelos:

* Estabelecer uma rotina de sono que inclua um período de relaxamento antes da hora de dormir;

* Evitar ou reduzir ao máximo o acesso à televisão, vídeo-games e smartphones antes de dormir;

* Estabelecer um horário para dormir todos os dias, que ajudará a criança a manter uma rotina.

* Deixar uma luz acesa, a porta entreaberta ou um copo de água ao lado da cama, para o caso de precisar acalmar a criança.

Cadastre-se e receba nosso conteúdo por e-mail

Talvez você também goste de:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *