Dicas de Mãe

Como fazer uma decoração segura no quarto das crianças

Olá! Neste post, vou falar um pouco sobre um tema que merece muita, mas muita atenção dos pais na hora de escolher e decorar o quarto das crianças: os riscos embutidos na decoração do ambiente. Sim, eles existem e não são poucos. Exatamente por isso, a escolha do material que irá compor o cantinho de seu bebê é tão importante como, por exemplo, a escolha do médico que irá acompanhá-lo durante boa parte da vida.  Como as crianças passam muito tempo no quarto, seja no berço ou brincando no chão, é preciso ter em mente que mais do que planejar um quarto lindo, deve-se proporcionar aos pequenos um ambiente saudável, organizado, limpo e seguro em todos os aspectos. Deve ser um ambiente harmonioso para garantir o descanso necessário e para beneficiar o desenvolvimento da criança.
Quando o assunto é segurança, minha primeira preocupação é com os cheiros do ambiente. Devemos observar a composição dos materiais porque cheiro forte de objetos é quase sinônimo da presença excessiva de substâncias químicas. Muitas delas prejudiciais aos seres humanos, especialmente aos bebês. No quarto das crianças o cheiro que deve ser sentido é o delas!
Mas há ainda os produtos que não possuem cheiro característico algum e mesmo assim são compostos de substâncias tóxicas, conhecidas tecnicamente como Compostos Orgânicos Voláteis. Eles causam irritação nos olhos e na garganta, tonturas, agravamento de alergias, dentre outros problemas. Para achar o nível do COV em tintas e vernizes, por exemplo, basta olhar as embalagens. E para o quarto dos bebês, o melhor é escolher sempre produtos de linhas específicas de baixa toxidade, como as tintas à base de água, que geralmente possuem os menores níveis de COVs. Por isso, certifique-se de que os produtos usados nas paredes e pisos não possuam pigmentos à base de metais pesados, fungicidas sintéticos ou derivados de petróleo. Além de fazer bem para a saúde, essa preocupação contribui com o planeta e com os princípios da arquitetura sustentável!
E na hora da organização, atenção para a disposição dos móveis. Como sabiamente os orientais demonstraram no Feng Chui, a localização do mobiliário interfere tanto na qualidade do sono, como proporciona mais ou menos segurança. O berço, por exemplo,  deve estar virado para a porta. Dessa forma, a criança tem a visão ampla da entrada. Isso evita o esforço arriscado de pendurar-se ou esticar-se para ver quem entra no quarto ou de onde vem o barulho no corredor.
O trocador é outro item do mobiliário que merece atenção enorme. Nunca escolha pela beleza, mas pela segurança que o objeto pode oferecer. Pense que os bebês podem rolar e precisam ser trocados com o máximo de segurança.
Na hora de decorar, é preciso também evitar enfeites desnecessários e coisas que não sejam do uso diário da criança. Tapetes e carpetes só devem ser usados se forem fáceis de lavar e devem ser lavados semanalmente para não acumular ácaros, poeiras e manchas. Pisos amadeirados, emborrachados, vinílicos e frios são a melhor pedida.
Quanto às cortinas, cuidado com o excesso de tecido e com as cordinhas de puxar. Elas não devem estar ao alcance das crianças, mesmo que ainda não caminhem. Os puxadores de cortinas não podem ter bolinhas ou qualquer outro penduricalho. O mesmo vale para os brinquedos e quadros na paredes. Em se tratando da segurança das crianças, quanto menos detalhes nos itens de decoração, melhor!
Até a próxima!
Victória Rossetti é arquiteta, mãe do Bernardo e dona da FormatHome.

Para entrar em contato:

[email protected]

ico1

@formathome

ico2

formathomearq

 

 

 

 

Cadastre-se e receba nosso conteúdo por e-mail

Talvez você também goste de:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *