Amor

Recicle suas ideias antes de criar filhos!

Era fim de ano e as crianças se preparavam para o Natal. A expectativa dos pais era sobre a mistura de turmas que a escola faria no ano seguinte, forçando a renovação das salas de aula. Em uma dessas conversas sobre as amizades que gostaríamos de alimentar nas crianças, uma das mães se referiu a uma das grandes amigas da minha filha afirmando que sua mãe deveria leva-la a um psicólogo para entender o que se passava na cabeça dela quando encarava os outros. Sugeriu haver algum comportamento estranho com base na forma direta que a criança olha os adultos ao conversar e disse não saber se a convivência com a garotinha era boa para a filha dela.

Confesso que na hora não entendi o que aquilo significava ao certo… Então todas as vezes que nossos filhos olhassem para nós fixamente deveríamos procurar ajuda especializada para entendê-los? Se desobedecessem deveriam ir para a terapia? Claro que não! Ela não se referia à filha dela e nem à minha, falava daquela garotinha em especifico. Por que? Levei alguns dias me perguntando isso até perceber que a resposta era óbvia e havia sido exposta na mesma conversa: a garotinha é adotada! Portanto, na cabeça daquela mãe, o fato de não ter nascido da barriga de quem a cria, deveria leva-la a um serviço especializado.

Fiquei parada ouvindo os argumentos mais absurdos que já imaginei e me perguntando como alguém daquele jeito, com aquelas ideias preconceituosas sobre as pessoas (pior, sobre uma criança!) tinha nas mãos a tarefa de educar e orientar um filho?

Durante a conversa, meus pensamentos foram longe. Pensei em como formar uma geração tolerante se os primeiros ensinamentos que algumas crianças recebem na vida são alicerçados nos piores valores. Pensei em como precisamos melhorar como pessoas antes de criar filhos e em como é árdua a missão de aperfeiçoar as gerações.

O leitor desse desabafo de indignação deve estar se perguntando: onde está a parte do conselho que o subtítulo sugere?  Está justamente na necessidade de fazer uma limpeza nas nossas ideias! Preconceito é terrível quando assistimos na televisão ou lemos no jornal. Mas ao nosso lado, ao lado dos nossos filhos, é algo que beira o abominável.

Trabalhemos, caros pais, para criar uma geração aperfeiçoada, livre dos preconceitos que cultivamos e não declaramos e mais distante ainda dos que deixamos escapar espontaneamente. Precisamos ter em mente que alguém sem valores e sem ideias relevantes não conseguirá incentivar um filho a cultivar princípios nobres. Quando amadurecer e melhorar como pessoas não for algo possível aos pais, nos resta apenas rezar para que mães como a que citei no inicio não consigam transformar suas crianças na sua imagem e semelhança.  O mundo teria muito a ganhar!

Cadastre-se e receba nosso conteúdo por e-mail

Talvez você também goste de:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *